Safra da tainha em SC atingiu só 30% do volume pescado em 2016

De maio até esta semana a Federação dos Pescadores de Santa Catarina estima que foram pescadas 180 toneladas de tainha no litoral catarinense.

A safra está em 30% do que foi registrado em 2016, quando, nesse mesmo período, os pecadores já tinham retirado 600 toneladas de peixe. Um dos motivos seria a temperatura da água, mais quente. Pelo menos 42 mil pescadores artesanais dependem da tainha no estado. Tem pescador que não tirou nenhum peixe sequer do mar.

Outros, em um mês, chegaram a pescar 300 quilos, mas não é suficiente para sustentar a família. “Isso é um peixe que não cobre a despesa de uma semana, pelo preço que tá o óleo, comida, a manutenção de caminhão, rede“, afirma o pescador Silvio Fernandes.

Para a tainha chegar mais perto da orla é preciso que a água do mar esteja fria e o vento seja Sul. Com águas aquecidas, o peixe não chega à região. Alguns pescadores já pensam em buscar serviços alternativos para compensar as dívidas contraídas com equipe e material. A temporada vai até julho.

Tainhas capturadas em cerco no Farol de Santa Marta, no Sul catarinense

tainha1